Arquivo para maio \23\UTC 2016

Como as estações


Como as folhas que caem secas no outono, eu me jogo de joelhos, eu enceno abandono                                E o brilho sempre tão intenso dos olhos cor-de-mel é a loucura a qual me proporciono

Como o vento que vem frio no inverno, eu me agarro a você nesse abraço tão eterno                                 E na ternura dos seus braços é onde eu me satisfaço, e tudo fica tão real

Como um dia azul de primavera   Eu me envolvo e sinto paz nessa sutil atmosfera                                      E o tracejado infinito dessa linha amarela, nos guia até o por-do-sol

Como uma noite quente de verão, Eu me embalo facilmente no calor dessa emoção                                        E eu vou deixando o seu metrônomo guiar, o meu coração

Anúncios